Dirigir na França – 3 Dicas

Fala galera!

Semana passada eu fui (finalmente!) buscar minha Carteira de Habilitação francesa (Permis de Conduire).

Para comemorar, resolvi fazer um post com algumas “dicas boas” para quem está fazendo o processo ou já dirige na França há mais tempo.

Ao longo do tempo eu aprendi algumas coisinhas bem interessantes sobre as regras de trânsito daqui, e algumas coisas são diferentes o suficiente para valer o post.

Só para lembrar : já fizemos aqui no blog um post sobre dirigir na França com a carteira de habilitação brasileira. Se você tem alguma dúvida sobre Permissão Internacional de Dirigir, vale a pena dar uma olhada no post neste link.

Tipo de Habilitação

O processo, como eu já esperava, demorou quase todo o tempo dos 8 meses da minha licença temporária – eu recebi faltando menos de 8 dias para acabar o prazo. Quando chegou, fiquei bastante feliz por ser a nova versão, com chip e tudo, já que a antiga é muito grande e não cabe direito na carteira.

Assim que eu recebi o documento notei que tinha algumas informações mais completas do que temos no Brasil. Aqui, além de existirem as categorias de A a E, existe uma subdivisão bem diferentona :

You & Me (14).png

 

Para quem quiser a explicação de cada categoria, tudo está bem explicadinho no site service-public.fr, mas a imagem já dá uma primeira dica.

Eu, por exemplo, tenho uma carteira AB no Brasil, que se transformou em: AM, A1, A2, A, B11, B.

Eu achei legal saber que o AM (que é para scooters e aquelas ‘vespas’) pode ser obtido a partir dos 14 anos, e sem uma habilitação normal, que na França é bem cara. Claro que tem um milhão de regras e as motos não ultrapassam 45 km por hora, mas é legal para quem quer ter um modo de locomoção dentro da cidade.

Constat Amiable – O primo distante do boletim de ocorrência

Algumas coisas são obrigação dos motoristas de ter no carro. A primeira delas é esse documento, o “Constat Amiable”, que serve para indicar as condições de um eventual acidente.

O modelo é em geral disponibilizado no site da seguradora, ou então num aplicativo, e é muito importante completar imediatamente após a ocorrência.

A dica vale para todo mundo, mas em especial para nós estrangeiros que em geral não entendemos muito bem as regras e as letras miúdas, é sempre importante:

  • Manter a calma
  • Completar o documento ainda no local do acidente, para poder ver melhor os detalhes
  • Anotar exatamente o que aconteceu, os ângulos das ruas, os eventuais sinais de “pare” e semáforos, sem se deixar levar pelas “dicas” do outro condutor, que pode estar só querendo se aproveitar da situação para se esquivar e fazer a responsabilidade cair sobre você.
  • Quando completo, o Constat deve ser assinado pelas duas pessoas em duas vias, e cada um guarda a sua cópia.
Atenção:
Se a outra pessoa não quiser assinar, ou então tentar ir embora, deixe anotado no verso do documento a ser enviado à seguradora, ou então chame a polícia.
Nada deve ser adicionado ao papel após a assinatura, e o documento deve ser enviado para a seguradora o quanto antes, e sempre no prazo máximo de 5 dias.

Tem um guia bem completinho (em francês) nesse site aqui, com mais detalhes sobre como preencher o melhor possível o Constat Amiable.

Apesar de ter valor jurídico, esse documento não é necessariamente um substituto do constat feito na polícia ou na gendarmerie.

Antes de sair dirigindo por aí informe-se sobre o assunto, afinal ninguém está 100% livre de um risco na estrada!

Ethylotest – O famoso Bafômetro

Esse é polêmico!

Para nós, brasileiros, as regras quanto ao álcool na França parecem super estranhas.

Diferentemente dos Estados Unidos, onde ou você pode beber em qualquer lugar, ou não pode em “lugar nenhum”, conforme o estado, na França a abordagem é diferente: você pode beber onde quiser desde que não esteja bêbado em público.

Por ser um país com uma forte cultura patriota em torno do vinho – com a valorização dos terroirs, a própria noção do vin de table, e por aí vaí – as leis de trânsito refletem isso, e permitem um nível de alcoolemia muito superior ao praticado hoje no Brasil

 

L'amitié du méchant est plus dangereuse que sa haine. (5).jpg

 

0,5 g/L de sangue na França* contra 0,05g/L no Brasil** – já levando em conta a margem de erro do aparelho no segundo caso

* Code de la route : articles L234-1 à L234-18 
** RESOLUÇÃO Nº 432, DE 23 DE JANEIRO DE 2013 https://www.denatran.gov.br/

Mas a parte interessante nem é a taxa permitida, mas o fato de que, na França, quem é responsável por ter o bafômetro não é a polícia, mas o próprio motorista! É uma política de responsabilização –

você é livre para beber até o limite permitido, mas você mesmo é responsável por tomar conta de si e de fazer o teste antes de dirigir e, se necessário, deixar o volante para outra pessoa.

A regra também é clara e diz que o fato de ter o teste não te isenta de ser verificado pelas autoridades caso necessário, e inclusive o fato de você não ter o teste no carro já é uma infração.

No site securite-routiere.gouv.fr tem um FAQ bem legal com várias perguntas sobre o assunto que explica bem em detalhe como tudo funciona.

E aí,  este post te ajudou ? Ou então se tem alguma outra pergunta que você quer ver respondida aqui no blog? Não deixe de deixar um comentário ou mandar um oi no Twitter!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: