Como encontrar o Apê ideal na França

 

Fala galera!

Eu pessoalmente estava com o blog bem devagar ultimamente – a chegada do verão me deixou um pouco mais ocupado do que eu esperava. Tanto no trabalho quando em compromissos pessoais estava uma loucura, mas pouco a pouco estamos dominando a agenda novamente.

O que ajuda bastante é a “Rentrée Scolaire”, famosa volta às aulas, que se passa em setembro, e é o momento em que não apenas quem estuda começa o ano letivo, mas também as atividades extra-curriculares e esportivas voltam de férias.

E, como quem diz começo de ano muitas vezes diz mudar de cidade as dicas desse post são para quem está procurando um lugar para ficar. Claro que as dicas não servem apenas para quem vai estudar, valendo com certeza para quem vai fazer um estágio, ou então só passear mesmo mas pretende ter um lugar mais fixo para ficar.

Nesse post vamos falar apenas sobre a fase de busca de um lugar para alugar – dado que eu tenho zero experiência em compra de imóveis e nunca pesquisei muito sobre o assunto. O assunto pode ser um pouco extenso então vamos por enquanto falar só da busca.

Vocabulário

Antes de começar a parte mais prática, um pouco de vocabulário para ajudar mas pesquisas – e até a explicar o que você quer para as pessoas:

Colocation (ou simplesmente “coloc”)

É o equivalente de “roomate”, e vem de “co-” mais “locar” de “alugar”, então você aluga com mais alguém. Pode ser na modalidade rachar um apê ou a famosa república de várias pessoas. Aqui essa opção não é restrita apenas a estudantes e jovens récem-formados, mas que valeu mesmo para quem já está há anos no mercado, e as vezes até casais.

Em cidades mais caras como Paris é inclusive uma das únicas saídas para muita gente dado o preço exorbitante do metro quadrado.

Loger chez l’habitant

Também muito comum em cidades maiores, e estudantis, a tradução direta é “morar com o habitante”, e você basicamente aluga um quarto na casa da família que já mora na casa.

Por conhecer algumas pessoas que já fizeram, isso pode significar uma casa que tem uma edícula separada – e onde você tem um mínimo de privacidade – ou estar na sala da pessoa por um tempo. Outro modo como isso aparece é “chambre à louer” (quarto para alugar)

“Squatter le Canap”

Aqui, quando você fica na casa de um amigo, você está “en train de squatter”, e em geral você acaba ficando num sofá (canapé), ou então num sofá-cama (clic-clac ou canapé-lit). Como essa opção depende de você já conhecer alguém não vamos abordar em muita profundidade.

Meublé / Non meublé

São duas opções que existem em locação: mobiliado e não mobiliado. Mas não se iluda, em geral não tem uma mobília lá muito completa. A lei obriga a ter um mínimo de ítens (cama e fogão são obrigatórios se não me engano), e poucos locatários (que chamamos propriétaires) vão muito além disso. Pode até ter uma louça, um sofá e uns armários, mas em geral não passa muito disso.

Por isso, na hora de calcular o quanto você pode gastar, leve em conta o custo inicial de comprar roupa de cama, banho e outros ítens básicos de limpeza e cozinha.

Résidence

Em francês isso quer dizer alojamento universitário e isso é bastante comum por aqui. Em geral são próximos às instituições de ensino (fora em Paris onde isso não é muito regra, pois existe toda uma “Cité Universitaire” onde se concentram esses alojamentos), e valem muito a pena pois com os auxílios do governo o aluguel fica bem em conta.

Foyer de jeunes travailleurs / jeunes filles

Essa é uma opção que a gente não escuta falar muito mas que pode ajudar bastante se você for jovem e não estiver conseguindo achar algo. Um Foyer é tipo um pensionato, e existem algumas modalidades mais fáceis de se achar: o de jeunes filles, que é para meninas, e o de jeunes travailleurs, que é em geral misto e tem apoio do governo, para incentivar alojamento de baixo custo para jovens entrando no mercado de trabalho.

Eu não tive uma boa experiência, mas me ajudou bastante a ganhar tempo enquanto encontrava uma outra solução durante meu estágio.

Caution e Frais d’Agence

Vamos falar de dinheiro! Caution é a calção, que em geral é dada em cheque no momento da assinatura do contrato, e equivale a um mês de aluguel. Esse montante é depositado pelo dono do imóvel e restituído em até 2 meses após vistoria de saída (ou seja, além do preço do aluguel é importante prever pagar esse montante logo de cara para entrar). Para mais detalhes tem o site do service-public.fr com toda a legislação e explicações bem feitinhas.

Fora esse primeiro montante, você também deverá pagar um valor para a agência imobiliária, que chama Frais d’Agence, e que também costuma ser próximo do valor de um aluguel. Se você não passar por uma agência imobiliária em geral você não tem um custo tão elevado, mas o proprietário em geral cobra uma taxa para tratar a papelada ele mesmo.

Para você que não entendeu essas duas palavras, em resumo: para entrar num imóvel pense sempre em um gasto de 3x o aluguel no primeiro mês.

Garant

São o inferno dos estrangeiros na França, e um mercado muito pouco coberto. Apesar de haver menos pedido de documentos para o fiador na França (em geral não se pede que tenha um salário de X vezes o aluguel), é quase sempre necessário ter um e muitos proprietários e imobiliárias vão reclamar se seu fiador não for uma pessoa física. Apesar de existirem mecanismos para ajudar jovens a se instalar, ainda assim há resistência por parte da indústria, que não aceita muitas vezes nem mesmo opções como seguro fiança.

Isso fora do básico que a gente aprende no curso de francês: appartement, maison, locataire, loyer e etc.

Por onde começar?

A primeira coisa a se fazer antes de começar a pesquisa é ter uma boa noção da sua real necessidade. Começar a pesquisar sem saber o que queremos é o jeito mais certo de cair numa cilada e querer mudar depois de pouco tempo. Eu falo isso com muita sinceridade pois acabou acontecendo comigo recentemente.

Ao chegar na cidade em que moro, eu estava numa pressa gigantesca para achar um lugar e acabei não só não tendo uma lista de coisas que eu não queria mas sem uma noção real dos preços de aluguel.

Então, para ajudar, é legal começar fazendo duas listas e três continhas:

  • O que você gostaria (não só do imóvel em si, mas se estiver procurando dividir, com que tipo de pessoa você gostaria de conviver? Jardim seria legal? Animais?)
  • O que você não gostaria de ter (idem, e para mim por exemplo isso incluia não ter fumantes no interior da casa)
  • Qual o custo que você pode arcar inicialmente? (e aqui lembre de contar móveis básicos, roupa de cama e banho se não tiver, itens de limpeza e etc. esse valor vai impactar bastante na decisão entre mobiliado e não mobiliado)
  • Qual o custo que você pode arcar ao longo do tempo? (o valor máximo vai sem dúvida impactar a localização e o tipo de imóvel – afinal morar sozinho num apartamento de 2 quartos não tem o mesmo custo que rachar o mesmo apê)
  • Outra conta a fazer antes de se mudar, é calcular quanto tempo você tem que ficar para conseguir reestabelecer um fundo mínimo para se mudar.

 

Apesar de não ser super divertido fazer essas contas, é importante levar muito em conta o aspecto financeiro para não deixar uma má decisão te deixar preso num lugar horrível por meses.

 

E onde pesquisar?

Com tudo isso em mãos, é hora de começar a pesquisa!

Se você estiver numa universidade, em geral tem alguém que pode te ajudar a começar a sua pesquisa, indicando as opções possíveis na região. Também vai ser essa pessoa que vai te explicar o que tem que ser feito para pleitear uma vaga na residência universitária.

Se tiver algum conhecido, amigo (ou até desconhecido mas que te ajudou num grupo de brasileiros no face, acontece), peça dicas também, sempre ajuda.

Agora, se não tiver essa opção (e para todos que não são estudantes), a pesquisa começa, pelo menos para mim, no leboncoin.fr, que é o site em que você pode encontrar de roupas usadas a vagas de emprego, como eu já expliquei nesse post . A dica é, a partir do seus critérios básicos, começar a procurar as palavras chave básicas: colocation, appartement, chambre à louer, maison…

Claro que também é bom olhar em outras fontes, então vou fazer uma listinha das que eu usei aqui:

Fora o que você pode encontrar na imprensa local. Vale a pena colocar o nome da sua cidade e a palavra-chave escolhida (colocation, appartement, etc) no Google para saber se tem algum resultado mais pertinente – para onde eu moro é o https://www.ouestfrance-immo.com/ que é de um dos maiores jornais da região.

Dicas finais

Uma dica essencial é: não tente atacar um anúncio de cada vez, bombardeie todos com e-mails e se não responderem em até 2 dias, ligue. Franceses gostam muito de falar no telefone e de mensagens de voz, e acabam te ligando se não entenderem.

Vença a vergonha e fale mesmo, afinal mesmo com um francês médio (ou ruim, que seja!) para eles é melhor falar com uma pessoa de verdade que com um e-mail.

Eu sei que não é fácil, especialmente no começo, mas vale a pena.

Após o décimo telefonema horrível você se acostuma a não entender o que a pessoa fala e pedir para repetir ou para falar por e-mail (que dessa vez será respondido porque te conheceram)

Quando você finalmente tiver respostas, não se deixe vencer pelo cansaço e fechar logo na primeira visita. Faça várias, conheça as pessoas e, se necessário, volte novamente em outro momento após ter tido um tempo para bater suas impressões do lugar com as listas que você fez lá em cima. As vezes na hora a gente fica animado com alguma característica específica (que nem estava na nossa lista!) e esquece de coisas importante. Tome um tempo para dar um reality check na sua impressão e ver se você não está se deixando levar por a pessoa ter sido legal ou então porque tem aquela cozinha maravilhosa mas que você nem precisa.

É isso aí!

Com algum esforço e muitas ligações você com certeza vai achar um lugar bem legal! Eu pelo menos sempre consegui achar, mesmo com dificuldades e demora das respostas uma hora dá certo!

Se essas dicas foram úteis deixa um comentário ou dá um oi no twitter, que se fizer sucesso eu posto um próximo texto sobre como lidar com a fase seguinte, quando você já achou a oferta ideal!

Um comentário em “Como encontrar o Apê ideal na França

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: