Como comprar óculos com a Sécurité Sociale e Mutuelle

Se tem uma coisa que franceses gostam é de complicar. O sistema de saúde francês é inclusivo? Eu acho. É rápido? Depende do que você precisa. É barato? Existe uma polêmica (afinal o equilíbrio das contas é tênue para não dizer deficitário como podemos ler as diferenças entre o que as informações no site do governo e o que sai na mídia depois de um tempo).

Agora: que ele é complicado é algo com o qual todos poderão concordar.

E se alguém falar que não, peça para explicarem como faz com compra de óculos de grau. Se a pessoa chegar até o final sem te fazer um desenho é porque tem pegadinha.

E é por isso que no post de hoje vamos voltar a falar de vida prática e tratar deste assunto um tanto quanto confuso que são os reembolsos de lentes e óculos de grau!

Update: chegou o meu orçamento, e eu vou pagar perto de 25 EUR pelos meus futuros óculos. Na ótica que eu fui eles também ofereceram uma promoção em que eu ganhei o segundo par pagando apenas 1 eurinho! (o que quer dizer [25+1]/2 = 13 EUR cada óculos)

Mas antes disso, algumas dicas de vocabulário e de sites para encontrar um oftalmologista (e ter uma prova de que você precisa de óculos)::

  • Ophtalmologiste ou ophtalmologue é o famoso médico, e as duas formas valem!
  • Opticien é o profissional que trabalha na ótica (e por extensão como os franceses chamam as óticas)
  • Sécurité Sociale é o sistema de saúde básico ao qual todo residente francês deve estar afiliado
  • Mutuelle seria o nosso equivalente do convênio (não é exatamente isso, mas é uma aproximação lexical válida)
  • Ordonnance – receita
  • Professionnel Agrée – são os que estão inscritos no sistema da Sécurité Sociale
  • Devis – orçamento
  • Demande – pedido, ou solicitação. A ótica tem que fazer um desses para saber quanto será o “Reste à payer” dos seus óculos ou lentes
  • Reste à payer – literalmente “resta a pagar”, é o que não será coberto nem pela Sécurité Sociale nem a Mutuelle (e quem paga é você).

Sites úteis:

Para encontrar um médico, o anuário AMELI

Se quiser marcar a consulta online, tente MonDocteur.fr ou Doctolib.fr

Etapa 1 – Receita

Eu recentemente desenvolvi fatiga ocular devido a uso excessivo de dispositivos digitais – ou, em português, fico tanto no computador que fiquei com a vista cansada.

Apesar de em muitas cidades isso não ser um problema, na minha existem poucos oftalmologistas, então já pra conseguir uma consulta já foram 3 meses de perdidos. Não estou brincando.

Já podemos desconstruir aí um primeiro preconceito quanto ao sistema de saúde: não é mágico e instantâneo! Aqui também tem espera e filas que podem sim ser grandes.

Assim sendo, apesar de já estar sentindo a vista cansada desde fevereiro, só fui ter a certeza agora no meio de maio. A médica após fazer uma bateria de exames oculares (nada muito incrível, só alguns aparelhos, nem dilatar a vista não precisei). O resultado foi nada mais do que o esperado: estou com a vista cansada, e na receita tem vários números que eu não sei interpretar. Mas nem importa muito pois não sou eu quem tem que entender e sim o oculista. Já vamos chegar lá.

Tudo isso para dizer que: a primeira etapa para se pedir óculos é fazer uma consulta médica e ter uma receita. Sem isso a Segurança Social e o seu convênio não pagam seus óculos! Nem adianta ir direto na ótica porquê não vai rolar reembolso daí.

Atenção: não se esqueça de levar a Carte Vitale e a carta da sua Mutuelle (equivalente do convênio) para ter o reembolso da consulta do oftalmologista.

Etapa 2 – Pedido na Ótica

A segunda etapa é a prova na ótica. Aqui o importante é procurar as que sejam ‘Opticien Agrée’, o que quer dizer que eles tem acesso ao sistema da segurança social, evitando que você tenha que pedir o reembolso depois (e correr o risco de fazer errado, perder prazo ou algo do tipo).

Após a escolha da armação, eles geralmente vão indicar algumas opções possíveis para as lentes (com um custo extra que provavelmente você que vai acabar pagando, então atenção!). Depois disso, no circuito do pedido, eles fazem uma solicitação online ou pelo telefone à sua Mutuelle, que vai calcular o quanto eles te reembolsam e indicar qual o valor que você tem a pagar (em francês chama “Reste à payer” ou “Reste à charge”).

Atenção: em geral você não pode ter dois pedidos simultâneos, então é importante pedir alguns orçamentos de valor total antes de lançar a solicitação à Mutuelle. Esta etapa, uma vez feita, bloqueia estes pedidos para todas as outras óticas.

Etapa 3 – Retorno do orçamento

Uma vez com o pedido, a Mutuelle responde à ótica ou diretamente para o beneficiário, em 3 ou 4 dias úteis, o “Reste à charge”.

Para ter uma noção do quanto você vai pagar, a dica é digitar no google “prise en charge lunettes” e o nome da sua mutuelle. O cálculo é todo complicado, mas se você tem certeza que quer tentar entender você pode clicar nesse link aqui (https://www.ameli.fr) e procurar “lunettes-lentilles”.

Uma dica importante para não ter muitas surpresas é : não se deixar levar e aceitar o primeiro se achar caro. Volte na ótica e peça para ver armações mais baratas – afinal na lente você já não pegou todas as opções possíveis e desnecessárias que eu falei na etapa 2.

Etapa 4 – Aceite do orçamento

Nesse momento apenas você pode dar um retorno positivo para que a ótica faça o pedido das lentes e prepare o óculos. Daí eles vão fazer o pedido e sinalizar para a sua Mutuelle que você aceitou.

Você paga o “Reste à payer” e a Mutuelle e a Sécurité Sociale cobrem o resto.

Se você quer ter uma ordem de grandeza, eu fiz dois orçamentos numa mesma ótica, com dois tipos de lente e uma armação de quase 180 euros. A lente simples saiu por um total de 380 euros, e com uma proteção extra da lente – que eu confesso que não entendi muito bem, afinal nunca usei óculos – saiu por 450. Isso antes de aplicar o reembolso.

Sim, óculos são muito caros por aqui! E é por isso que é preciso entender o sistema e garantir que o seu reembolso vai acontecer certinho.

Eu fiz um diagrama para tentar esclarecer um pouco, afinal se a pessoa falando na minha frente eu tive que parar para anotar tudo, imagina com esse tanto de texto aí em cima.

Para terminar, duas dicas finais:

  • A cobertura é em geral para um óculos a cada X anos – podendo ser 1 por ano para a CMU-C por exemplo, ou até 3 anos dependendo da sua Mutuelle. Isso pode variar também de acordo com a evolução do seu grau, ou então dependendo do tipo de correção que você precisa. Mas essa é a regra geral.
  • A dica de ouro de sempre perguntar continua valendo! Não deixe de perguntar às pessoas próxmas de você para ter mais insights e chegar na ótica entendendo melhor.

É isso aí pessoal, espero conseguir ajudar quem estiver precisando comprar óculos na França e não sabe por onde começar!

2 comentários em “Como comprar óculos com a Sécurité Sociale e Mutuelle

Adicione o seu

    1. Oi Michel!
      Que bom que está gostando, a idéia é essa mesmo, eu percebi que algumas coisas não dá pra achar de jeito nenhum na internet então resolvi eu mesmo falar disso pra ajudar quem estiver procurando =]

      Fico feliz de saber que você está gostando, obrigado pelo follow!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: